Apague essa Chama

Dia 31 de maio é o Dia mundial sem tabaco, mas infelizmente não há muito o que celebrar.
O tabagismo, dentre todos os fatores ambientais , é certamente o mais ameaçador de todos.
Apesar do consumo de tabaco estar reduzindo em países desenvolvidos, vem crescendo em
países em desenvolvimento. Há um consumo atual de cerca de seis trilhões de cigarros todos
os anos.
Ele é o maior fator de risco para o desenvolvimento de cânceres (um terço de todos os casos),
doenças pulmonares, doenças cardiovasculares, doenças cerebrais, aceleração do
envelhecimento entre outras. Estima-se que 100 milhões de mortes foram causadas pelo
tabaco no século XX e dentre os fumantes no mundo atual, cerca de 1,5 bilhão, quase metade
morrerá prematuramente por causa do cigarro.
Isso mesmo, 1 em cada 2 fumantes devem morrer por uma doença relacionada ao fumo.
Fumar causa mais mortes nos EUA a cada ano do que a combinação de todos esses outros
problemas juntos: álcool, drogas ilegais, acidentes com armas de fogo, acidentes com veículos
motorizados e AIDS. Fumar encurta a vida de um homem em cerca de 12 anos e a vida de uma
mulher em cerca de 11 anos.
Dentre as quase 5.000 substâncias tóxicas existentes em um cigarro, dois venenos destacam-
se afetando a saúde das pessoas:
1- O monóxido de carbono que também é liberado nos escapamentos dos automóveis e
é fatal em grandes doses. Ele substitui o oxigênio no sangue e impede os órgãos de
funcionar adequadamente.
2- O alcatrão é uma substância pegajosa e marrom que gruda nos pulmões dificultando
sua respiração.
Fumar afeta muitas áreas diferentes do corpo: o sistema cardiovascular, o Cérebro, a Pele, os
ossos, o Sistema imunológico, todo o sistema digestivo e obviamente os pulmões.
Mas, se os malefícios do cigarro são tão conhecidos, por que ainda há tantos fumantes? Bem, a
primeira baforada deve-se ao marketing do cigarro que vem sendo banida em várias partes do
planeta mas que por muitos anos trouxe a sensação de poder e potência enquanto, na
verdade, temos exatamente o oposto. As demais baforadas devem-se ao vício. Nicotina vicia
mais que a cocaína. Com apenas 1-2 semanas de uso contínuo o fumante já pode estar
dependente. E largar é difícil. Só 3% das pessoas que tentam abandonar o cigarro conseguem
fazê-lo, geralmente após a quinta tentativa. E olha que não é pouca gente tentando ficar longe
da fumaça: 80% dos fumantes brasileiros dizem querer parar. O importante é traçarmos um
programa personalizado antitabaco que possa ser efetivo em sua vida. Momentos como esse
aqui fazem parte de pílulas preventivas que podem afastar essa chama do seu caminho.
Saúde à todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Atendimento online